quarta-feira, 8 de abril de 2009

O capetalismo e nós


Annie Leonard é especialista em sustentabilidade e em impactos ambientais. Passou dez anos viajando pelo mundo á procura de respostas para a seguinte pergunta: "De onde vem as coisas que compramos e para onde elas vão quando as jogamos fora?"
E através de sua pesquisa, ela descobriu que a resposta vai muito além de extração de matéria-prima, produção, consumo e lixão. Com o propósito de mudar o pensamento das pessoas e mostrar à elas, o que segundo Annie, a mídia não mostra, ela criou o vídeo chamado A história das coisas, no qual é explicitado o capitalismo consumista e seus impactos tanto ambientais quanto sociais no nosso planeta.
O vídeo que certamente atinge o objetivo de fazer as pessoas pensarem, me chamou mais atenção quando Annie diz que pesquisas revelam que nos EUA (país mais consumista do mundo) a felicidade das pessoas teve um pico na década de 50. "Coincidentemente", também foi a época de maior consumo no país. E após os anos 50, a felicidade dos norte-americanos vem declinando cada vez mais. Ao explicar a razão para tal declínio ela diz: "Temos mais coisas, porém menos tempo para aquilo que nos faz realmente felizes."
Podemos perfeitamente pegar os resultados dessas pesquisas e a razão exposta por Annie, e encaixá-las no Brasil ou em qualquer país do mundo. A globalização também internacionalizou os problemas sociais.
Atualmente, induzidos pela mídia que nos incita ao consumo constantemente, mostrando suas inovações diárias e criando uma falsa necessidade de vários produtos, somos levados a querer comprar, comprar e comprar. É a geração do ter e não do ser. Foi criado o pensamento de que precisamos mostrar ao outro que temos o poder de compra, não basta apenas ter as coisas, é preciso exibi-las. E para isso, precisamos de dinheiro, o que nos leva a trabalhar mais, a estudarmos e nos qualificarmos em busca de melhor remuneração, para que no final de tudo, possamos comprar.
Trabalho e estudo, requer tempo e energia, e os dois últimos são todos direcionados para os dois primeiros. Aonde fica o tempo e a energia para o lazer, os amigos e a família? Estes não ficam. É preciso criar um tempo pra isso, o que sempre é adiado. "Outro dia a gente marca de se ver."
Quando não falta tempo, falta energia, e quando não falta energia(algo raro), não sobra tempo.
Isso é muito bem exemplificado no vídeo de Annie, segundo o qual, o trabalhador chega em casa cansado e a sua única opção de lazer no final do dia é a televisão. Ali, ele é novamente induzido pelas propagandas que ficam buzinando em sua cabeça que os produtos que ele já tem, são obsoletos e isso o faz sair para consumir mais, o que o leva a trabalhar para pagar as contas, criando assim um ciclo viciante.
Sem diversão e descanso, a diminuição da felicidade do indivíduo é iminente, assim como o aumento da insatisfação pessoal, que ás vezes é atenuada pela falsa sensação de felicidade que o consumo nos traz.
E nós, meros consumidores e perpetuadores desse sistema que está em crise, estamos no meio disso tudo, ora nos encaixando perfeitamente nesse ciclo maçante (imposto pelo) do capitalismo, ora tentando ficar alheio à tudo isso, nem que seja por alguns minutos.



Quem quiser assistir o vídeo "A história das coisas", que tem um lado muito mais ambiental e não menos interessante, é só clicar no site do mesmo ou no link do youtube que seguem abaixo (eu recomendo o do próprio site) :
Story of Stuff
Youtube

22 comentários:

P. disse...

Foi criado o pensamento de que precisamos mostrar ao outro que temos o poder de compra, não basta apenas ter as coisas, é preciso exibi-las. E para isso, precisamos de dinheiro, o que nos leva a trabalhar mais, a estudarmos e nos qualificarmos em busca de melhor remuneração, para que no final de tudo, possamos comprar.

Ótima síntese do comportamento prejudicial que é consequência do consumismo.

Trabalho e estudo, requer tempo e energia, e os dois últimos são todos direcionados para os dois primeiros. Aonde fica o tempo e a energia para o lazer, os amigos e a família? Estes não ficam.

FATO!

-

O que considero mais prejudicial é que o tal consumismo descontrolado está atingindo com um baque violento as crianças do novo milênio, com predileções nunca tão adultizadas. Cada vez mais os bonecos, carrinhos e afins perdem espaço para celulares cheios de trambolhos e outras tantas sofisticações completamente desnecessárias, em tão tenra idade, à crianças que deveriam usufruir de seu potencial imaginativo, como faziam os pais e avós, sendo as crianças que de fato eram e não o modelo-adolescente-forçado que tanto querem ser.

-

Visitei o site, mas infelizmente não consigo fazer o vídeo carregar por problemas com a droga do servidor. Ainda assim, favoritarei o link para uma futura consulta; a pesquisa pareceu-me realmente muito interessante e até mesmo útil, visto que pende para a área ambiental e sou estudante de Biologia.

Enfim, mantiveste o ótimo "nível de postagem"! :)

Abraços.

P. disse...

Deixa eu ver se entendi: ela encontrou o corpo do namorado? Céus, que mórbido. Fiquei "passada" agora. ._.

Sobre as aulas de Anatomia, as que eu tive até agora foram infinitamente menos escabrosas; antes da que relatei na postagem, só havia visto alguns ossos (estudávamos Osteologia).
Agora, não me pergunte que reação teria diante de um cadáver humano...!

E sobre os comentários, prefiro que sejam como os seus que, assim como disseste que são os meus, "interagem" com a postagem.

Muito obrigada pelo retorno e também pelo elogio feito ao post Deleite.

Abraços.

P. disse...

Adendo: o vídeo aparece tanto no site quanto no youtube, só que ele simplesmente não carrega - é aí que reside todo o problema. :/

Alexandre Silva disse...

Oxente... achei que ñ ia voltar mais uai!

Qto ao consumismo, uma frase resume: "A gente passa a vida inteira trabalhando numa coisa que não gosta pra comprar coisas de que não precisamos pra agradar pessoas que não gostamos". Eu não sei quem é o autor dessa frase, porém ela é extremamente verdadeira qdo se trata do consumismo de hj. Um exemplo prático, eu ñ sei dar 500 conto num tênis enquanto posso comprar um de 40. Ou até mais barato (Nova Serrana rules, kkkkk)
Consumismo pra mim é pra fazer graça. Pura frescura.
Todo mundo passa pela idade do "querer ter", a adolescência é sempre assim, mas pra mim é mera futilidade...

Some não hein
Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

... disse...

Caralho! Perdão pelo palavrão, mas axu q li por aki que vc apenas tem 18 anos. E, o melhor, é dona de uma escrita do caralho! Rsrsrsrs. De novo! Gostei muito da distinção BigMac X Pão com Manteiga. Eu axu q tow precisando eliminar pessoas Pão com Manteiga da minha vida. Mas, cara, vim mais pra retribuir o comentário lá no Inferninho. Quando digo que Mateus pede desculpas, ele de fato o faz, mas as pessoas ao seu redor nunca se redimem das coisas que fazem. Explodem, mas não conseguem a redenção, e levam a vida tranquilamente, como se nada tivesse acontecido. Será que aprendem com a confusão e a perda? Não aprendem nunca. Mateus enlouquece, sofre, chora, pede desculpas pelos erros que comete, mas cresce de alguma forma. Será que os outros estão saindo do lugar? É essa a questão real do texto. Nada volta ao normal, pq muita coisa acontece deste normal em diante.

Abraço!

Anna Gabriella disse...

Ja vi este video,matheus ja me mostrou.. lalala..
e o fodas,ne?
huahuahua

Jeff Buckley Brasil disse...

O consumismo coisifica as pessoas, elas se tornam entes com finalidade bem definida e pré determinada.

adorei o post, garota, mas tenho que lhe dar um carinhoso puxão de orelha.

o consumismo é fruto direto do capitalismo, mas o capitalismo em si não foi pensado pra existir da forma que existe hoje

assim como o socialismo, o capitalismo tb foi e é muito chutado.

blog lindo, boa escrita, continua.

abraçz

Jeff Buckley Brasil disse...

Li o post "(in)digno de pena"

Impressionado, ganhou meu respeito

tô seguindo.

Onaldo disse...

O vídio não carregou...
Mesmo assim, o texto é ótimo!
O blog arrasa, é pertinente, dialogante e bonito!
Parabéns!
Feliz Páscoa!

Meus blogs:
Blog em Português: http://goiaschaopoemadobao.blogspot.com/

Blog in English: http://onaldoscorner.blogspot.com/

Dário Souza disse...

Vou procurar ver o vídeo, o assunto me interessa muito mesmo, acho que como você mesma falou essa obceção pelo consumo compulsivo tem trazido cada vez mais dividas e muito menos felicidade para as pessoas, o se exibir o mostrar status o ser melhor, está nos transformando em refens do consumo e isso se reflete principalmente nas idades mais jovens, crianças e adolescentes tem se preocupado muito mais em ter a roupa da marca, o melhor celular, aquele ipod, e estao se esquecendo que eh nessa fase que vc cria a sua personalidade quem vc vai ser quando crescer, se somos criados direcionados a essa obceção quando crescermos estaremos pior do que a geração de adultos atual.O quadro é alarmante. Gostei do blog, quero voltar mais vezes.Boa pascoa

Marilene disse...

Com certeza vc gosta de maquiagem.

Vim lhe convidar para conhecer o meu blog:

www.likeamake.com

beijos

Marilene disse...

Com certeza vc gosta de maquiagem.

Vim lhe convidar para conhecer o meu blog:

www.likeamake.com

beijos

Inez disse...

Atualmente as pessoas são muito mais preocupadas em ter e não em ser.
As novas gerações vem sendo "doutrinadas" para reforçar ainda mais esse comportamento.

Macaco Kikazaru disse...

Isso me lembra que tenho que passar na sua casa, só tenho falado com vc pelo computador nos últimos tempos =P

Quando eu estiver com tempo vou ver o vídeo. Mas a postagem ficou muito boa... adorei o texto e a escrita. nunca mais reclame da falta de ideias... demorou um pouco pra postar, mas ficou ótimo!

Macaco Kikazaru disse...

ah, aqui é o brunín... tô logado em outra conta do google e só agora percebi =P

Adriano Ferreira, CM disse...

Adorei o texto, informativo e reflexivo. hj em dia é tão comum recebermos muita informação e quase nenhuma reflexão, é a tal sociedade da informação, que nos obriga a estarmos antenados a todo tempo, sem ter tempo para pensar sobre o que acontece. acho que seu texto é um pouco sobre isso... como dia milton nascimento: "a abelha fazendo mel vale o tempo que não vou". será que precisamos produzir o tempo todo? se produzirmos o tempo todo, teremos tempo de criar algo? "lembra que sonho é sagrado e alimenta de horizontes o tempo acordado de viver...."

a proposito, "a história das coisas é fantástico"...

abraço, adorei o blog, vou acompanhar.

adenilson disse...

óvulos fecundados é boa..
putz eu vi esse video..concordo com tudo q vc flw..
alías tu é mto madura e inteligente
parabens
dá gosto ler blogs assim..
dedicados e inteligentes.

o meu é escrachado mesmo
apkspaskpoaskpoas

aaah

dei uma sutil atualizada no meu . ..
espero q curta.
bjaum e espero vclá
ótima páscoa com mto chocolati e uma segunda feira de regime sensaiconal
kkkkk

biiah disse...

me amarrei no seu blog! tive uma quedinha pelo texto abaixo, que fala dos BigMac e dos pão com manteiga. XD fico alegre por voce ter gostado do meu post.. mas por favor, não me processe, UHAUAHUAHU :D beijo e ótima páscoa XD

Dário Souza disse...

Um selo pra vc la no meu blog

Bela disse...

estou carregando o video, mas concordo com o texto. Se hoje o mercado mostra um celular branco de bolinha rosa, e você tem um de bolinha verde, vc PRECISA comprar o novo! É isso que todos os dias vemos na televisão, propagandas das mais apelativas!
Vou ver o video agora, parabéns pelo blog!
Um beijo!

Vilson disse...

Olá! Obrigado por postar no meu blog! Gostei muito do texto sobre a questão da sustentabilidade, e pretendo voltar ao blog para ler os outros posts. Já está favoritado!
Abraço!

Rodrigo Yoshizumi disse...

oi, Natália!
estou passando para agradecer o seu comentário lá no meu blog! :D

quanto à sua postagem, entendo seu ponto de vista, mas não sei se você concorda com o meu: eu sou um capitalista, querendo ou não. E nem gosto de criticar isso. Não imagino minha vida sem o consumo e as "propagandas que ficam buzinando em sua cabeça", que você citou.

mas defendo um dos lados do seu texto: o exagero do capitalismo, como "exibir as coisas que você tem", é quase uma doença e, nesse sentido, deve ser curada.

é uma boa reflexão! parabéns!! :)

tenha uma ótima semana!