quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Lição de casa

Hoje de manhã estava assistindo ao jornal Bom Dia Brasil, da Globo, até que uma reportagem me chamou a atenção.

A monitora de uma escola municipal da cidade de Araçariguama, SP, incentivou sua filha a brigar na porta da escola. O motivo da briga não é supresa pra ninguém. Duas adolescentes brigando, só pode ser por quê? Por causa de homem, claro. De acordo com a Polícia Civil, o namorado de uma delas teria ficado com a outra. Acho interessante o conceito de motivos que algumas pessoas têm, mas enfim, isso não vem ao caso (não pra este post).

O fato é, as duas adolescentes se atracaram e a porrada rolou solta. Não por que não houvesse nenhum responsável por ali, pelo contrário, a mãe da agressora (a que começou a briga) estava presente e ao invés de separar as garotas, como era seu dever de mãe e monitora, além de não deixar ninguém intervir na briga, passou a incentivar sua filha a bater mais.

"Soca a cara dela"; " De direita, do jeito que eu te ensinei"; "Soca ela, seu pai está esperando no carro"; foram frases desse tipo que a mãe Meire Aparecida, disse no momento da briga. A monitora negou o incentivo em depoimento a Polícia e justificou a sua passividade, alegando que a filha deveria "aprender a se virar, se não apanharia em casa".

Por má sorte dela, ou sorte da agredida, o fato foi filmado e já está circulando em tudo que é lugar. É, não adianta negar D. Meire. O caso foi encaminhado para o Juizado Especial de São Roque, e Meire teve suas atividades suspensas.

Agora que está desempregada, D. Meire poderia pensar em abrir uma escola de artes marcias. Karatê, Jiu-jitsu, sei lá. Não é bater que ela está ensinando mesmo?

"Não criei filha para apanhar na rua".

Quem merecia apanhar era você, D. Meire. Pra aprender...pra aprender...




Aí está o vídeo do mais novo método de educação familiar.

7 comentários:

luiz scalercio disse...

mae e mae quer ver a filha perder e assim mesmo.
se fosse vc o que vc faria ?.

Natália Coelho disse...

Bom...mandar bater que não seria. Violência gera violência. Ensinaria minha filha a pensar antes de partir pra força bruta. E mais, se ela aprendesse comigo, jamais brigaria por homem. Concordo com você que se for pra brigar, que bata, não apanhe,mas jamais incentivaria isso.

Paloma S. disse...

Já não basta a merda que fez, ainda a faz por causa de homem? Tudo retardada.

Quando meu ex não era ex, havia uma oferecida que... se oferecia pra ele, oras. Comentei que (obviamente) não gostava daquilo. Eis que ele pergunta:
- Você vai brigar com ela?
E eu respondo:
- E eu lá vou brigar por causa de homem?

Era evidente seu desapontamento(!) com minha negativa. Bem feito também HAHA

Desculpe o sumiço e as palavras escassas, mas diminui drasticamente o acesso à internet. Numa outra oportunidade, leio o que perdi.

Abraços

Marcos Pinheiro disse...

Olha a cara da mãe da menina, denuncia tudo: BAR-RA-QUEI-RA de plantão! Ela devia investir no SUMO, tem porte pra isso.

Alexandre Silva disse...

Adoro briga de mulher ^^

! Marcelo Cândido ! disse...

1° erro: a briga por coisa tola
2° erro: a mãe
3° erro: as filhas

eita, tá tudo errado
! ! !

! Marcelo Cândido ! disse...

tô seguindo
visite-me
abraço