quinta-feira, 25 de junho de 2009

Diário de uma secretária



25 de junho de 2009

Hoje, o dia de trabalho poderia ser considerado típico, se não fosse o fato de o Sr. Osvaldo ter executado duas demissões seguidas. Dera a desculpa de que precisava cortar gastos. "A crise chegou na empresa, minha gente." Grande mentira! A crise já é rotina dos funcionários, mas dele? Não mesmo.

Como sempre, o chefe chegou bem arrumado, vestindo um de seus ternos italianos que, certamente, custou o equivalente à cinco meses do meu trabalho. Mas, também, o que isso significa para o Sr. Osvaldo que fatura mais do que o dobro desses cinco meses em um único dia? Nada! Aliás, a economia com o salário dos demitidos de hoje, cobrirá essa diferença.

Ah, aquele homem viu! Entrou na sala, me cumprimentou e ordenou tarefas, sem ao menos me ver e nem sequer perguntar como vai a minha vida. Pois eu lhe digo Sr. Osvaldo, melhoraria e muito se o senhor parasse de colocar em prática a "teoria da mais-valia", me pagasse um salário justo e deixasse de lucrar às custas da exploração de seus empregados.

Passado esse ínfimo contato habitual, comecei a pensar em como este homem vive apenas em função de sua empresa. Está milionário, porém sem tempo para usufruir dos verdadeiros bens. Quase não vê sua família, os poucos "amigos" são seu clientes antigos e ainda leva uma vida muito estressante. Ligações daqui, reuniões acolá, eventos em vários países, o homem não pára nunca. Pobre Sr. Osvaldo!

Cada vez mais, percebo que o capitalismo e seus grandes lucros não traz felicidade nem para os patrões, tampouco para os humildes funcionários como eu.

Posso não estar rica, mas eu crio os meus filhos e os vejo crescer. Além de sempre escutar um "Te amo" como boa noite, do Roberto meu marido. Pobre, mas presente.

Vou orar agradecendo à Deus pela família que tenho e pedi-lo que abençoe o Sr. Osvaldo, fazendo-o descobrir a dele, antes que seja tarde demais.

3 comentários:

O Frango... ® disse...

Aposto que o Sr. Osvaldo agora está na sala dele, contando seu dinheiro infinito e rindo da sua cara pobre, sem se preocupar com mais nada =P

PCN disse...

Todos os grandes chefes são um pouco do Sr. Osvaldo.
E quanto ao cara de cima, acho que ele acredita que dinheiro é sinônimo de felicidade.
Belo post moça (como sempre)!

KaKa Fuinha disse...

com o dinheiro que o senhor Osvaldo tem, ele compra um eu te amo sincero por dia!

=/