sexta-feira, 26 de junho de 2009

No fim, todos comem grama por debaixo da terra.

Bh FM : Thriller
Oi FM: Billie Jean
Jovem Pan: Beat it
CDL FM: Black or White
Transamérica FM: They don´t care about us

E só se fala nisso.

Desde pequena sempre pensei que as grandes celebridades eram seres imortais. Para mim, era inconcebível a idéia de que eles podiam comer, dormir, cagar e respirar o ar assim como nós, os anônimos. Não, isso não era imaginável. À eles cabia apenas a função de serem bons naquilo pelo qual se destacaram, seja cantando, dançando, atuando, escrevendo, entre outras coisas. Não tinham vida propriamente dita, eram intocáveis (não pense em dalit, por favor).

Tal ponto de vista começou a ser descartado no ínicio do ano passado, quando o cara que surgia no circo em cima do cavalo com um chicote, resolveu gavalgar em outro plano. Sim, estou falando de Beto Carreiro,a lenda. Com a opinião quase que descartada, em julho do mesmo ano, Dercy Gonçalves resolveu partir dessa pra melhor.Foi então que comecei a pensar: "Poxa, eles podem morrer sim. São feitos de carne e osso também!"

E pra liquidar de vez com qualquer resquício de tal imaginação, ontem veio a notícia que surpreendeu a todos. O polêmico Rei do pop já não se encontra entre nós. "Michael Jackson morreu. MICHAEL JACKSON MORREU! Repita pra mim, por que eu não estou acreditando. Sim, o 'ex-negro' morreu!"

Nunca fui uma de suas fãs, mas sei reconhecer o enorme sucesso e talento que ele tinha. Assim como as outras estrelas, Michael costumava estar sempre em um patamar acima do restante da população. Não por que são de fato bons ou pessoas melhores, simplesmente porque é dessa forma que a mídia nos mostra os "artistas". E foi com esse último acontecimento que eu deixei de ter essa imagem infantil de "imortalidade".

Ele se foi, mas continuará sendo o assunto do momento durante um bom tempo. Quiçá eternamente, junto ao "Clube dos inesquecíveis". E ainda renderá muito para as rádios, tvs e lojas que utilizarão de sua morte, como uma nova fonte de lucro. É o capitalismo, não se pode perder as oportunidades.

Depois dele, não me surpreenderei mais quando Xuxa, Sílvio Santos ou Madonna se forem.
O tempo das ilusões acabou.


Gostava mais dele, quando ele ainda era ele mesmo.

10 comentários:

Nat Valarini disse...

Olá, Natália!

Contribuição para a música pop?

Com toda a certeza!

MJ foi um marco, sem ele o que ouvimos hoje seria beeeemmmm diferente.

Como artista, foi fantástico. Vida pessoal, desastrosa, como tantos famosos!

É o que eu digo: espero que as hienas deixem de chorar pitangas em cima dele, querendo se aproveitar do momento para se promover.

Paz aos mortos!

P.S.: Obrigada pela visita, adorei suas palavras no G.P.

Kiso

Ronaldo disse...

Oi amiga

tudo em paz?

compartilho das mesmas opiniões que voce, achei que esses caras não morriam, lembro do enterro da Elis regina, mas para mim era só TV...

Bjs e bom findi

Marcos Pinheiro disse...

"Michael morreu e é difícil dizermos, aparentemente, a sua idade, justamente porquê parecia que ele estava chegando ao seu objetivo louco de não envelhecer, mas parece que algo ainda maior estava esperando por ele. Podem ter certeza que mesmo não acontecendo os shows tão esperados, Michael inicia um outro ainda maior do que o previsto: a imortalidade! Realmente vai ser difícil surgir alguém maior do que ele." [post de ontem_26.06.09]

.:.

Fia, parabéns pelo texto leve que fez em um momento que para alguns, ainda é delicado mexer no assunto - perfeito. Mas claro que você não poderia perder a linha, adorei o "Não tinham vida propriamente dita, eram intocáveis (não pense em dalit, por favor)." O povo realmente só anda pensando nisso agora com essa novela dos infernos - pra você vê o poder que Glória Perez tem, né, querida?

Felix disse...

O cara já tava tão cheio do formol que ja foi mumificado vivo... Acho que vão por ele naquela igreja dos corpos incorruptíveis.

Sucesso procê e pro seu brogui!

Tyciara Olvieira: disse...

Querida, preciso dizer uma coisa:
SEU BLOG TÁ LINDO!

disse...

Meu comentário é o mesmo que escrevi na postagem equivalente do Marcos, não por não querer escrever outro, mas porque minha impressão sobre o ocorrido é uma só:

"Uma pena que não tenha ao menos voltado aos palcos, conforme planejava. Também não era sua fã, mas é inegável que era, literalmente, um rei no que fazia. E quando o rei se vai, os súditos ficam desnorteados. E aquele moonwalk marcou época hehe"

PCN disse...

Acabei falando dele no meu blog, mas você utilizou um ótimo ponto de vista!

Pra mim ainda é difícil assimilar que certas pessoas morreram. Sabe, parece que elas simplesmente sairam de cena.

Para algumas pessoas não existe a morte. Essas poucas pessoas ainda vivem na memória de todos nós (veja o caso do Elvis Presley, por exemplo!)

Alexandre Silva disse...

1 - Eu nem vou falar do Michael... todo mundo já falou tudo mesmo :/
Mas deu vontade de ouvir "Billie Jean"

2 - Cheguei bem... e molhado ¬¬

3 - Cadê a "minha" foto aqui do lado? :P

Bjo

http://falandoprasparedes.blogspot.com

Bruno disse...

Pra mim o choque maior foi saber que ele tava preparando uma turnê e talz... Foi péssimo.

Gostava dele, mas não como um fã. Mas admirava o cara! Abraço!

Matheus Macedo [мм] disse...

Eu também pensava que os ídolos eram imortais, não cagavam, peidavam e etc...

Hahaha!

Já se faz uma semana que o cara morreu...
Tava locão mas eu só penso "COMO" deixaram isso acontecer com ele, não foi sozinho... cadê os psicólogos e etc?

Dinheiro é uma merda mesmo.

Ele pedia remédio tals, cirurgia tals e ganhava...

Mas graças a ele o pop é o pop de hoje.

Abraços p/ MJ.