quinta-feira, 11 de junho de 2009

Encarando a (matur)idade.

Estamos envelhecendo pouco à pouco desde o nosso nascimento e caminhando todos os dias rumo à única certeza de nossa vida, a morte. Fatídico? Não. Realista.

Cada ano vivido é mais um ano envelhecido. Assustador? Sim. Principalmente para quem vê este processo somente como aquele em que nossa memória diminui, os ossos se tornam mais frágeis, a audição e a visão se tornam limitadas, ficamos mais dependentes de cuidados alheios, as rugas tomam conta da face e os cabelos embranquecem. Estes sim, irão se aterrorizar com medo da deteriorização natural do seu "corpitcho" jovem.

Entretanto quem enxerga o envelhecimento como uma fase inerente á vida, na qual nos tornamos experientes e sábios, conseguindo enfim, compreender todas as fases vividas anteriormente, não se sente atemorizado com sua chegada gradual. Entende-se apenas como mais uma etapa do nosso reloginho biológico, mesmo sendo esta a reta final.

Eu e meu velho na cama.

Eu entendo a velhice das duas formas acima, tanto como mudanças físicas quanto psicológicas. Penso ser impossível separá-las, para mim há apenas uma tendência para um dos lados. Uns morrem de medo, outros relaxam e esperam ela chegar. Eu estou no grupo do meio, apenas esperando calmamente, mas com um certo receio do futuro duvidoso.

Não sei que tipo de velhinha eu serei, só espero ter saúde suficiente para viver bem o tempo que me resta e claro, que eu tenha o meu velhinho ao lado para dar sua papinha. Ah, e não podia me esquecer dos capet, ops, dos netinhos que irei mimar. Além dos chás da tarde, das caminhadas matinais, das visitas ao geriatra...


Quer coisa mais linda que um casal de velhinhos?


Não sei porquê, de repente eu comecei a pensar que estou ficando mais velha. [ironia mode off]

7 comentários:

P. disse...

Tá fazendo dezenove? Se sim, é mais velha que eu uns meses. Como foi quando você fez - ou como está sendo fazer - dezoito? Nossa, eu me senti catedrática. De verdade. Fiquei meio "deprimida", não exatamente por "envelhecer", mas por saber perfeitamente que essa data cercada de misticismo juvenil não mudaria em nada pra melhor em minha vida, mas isto é outra história.
Também faço parte do grupo do meio. Afinal, agora que seu corpo e vida estão no auge e onde ainda podemos ser imaturos e levados à sério concomitantemente não dá pra definir muita coisa sobre o avançar da idade, relativamente distante. Mas, quando penso nisso de envelhecer, dá mais é medo, sabe?, de depender de todos pra tudo. Certa vez, li um relato de alguém afirmando que não queria viver mais de 30 anos, pois depois disso todos somos subjulgados. Não acredito ser pra tanto. Quero viver muito, mas com qualidade, assim como você, eu e outras tantas pessoas. Contudo, gostaria de manter o controle sobre meu corpo e, principalmente, mente, podendo ainda fazer caminhadas e conversar sem caducar com minhas amigas HAHA
Fiquei bastante pensativa lendo seu parecer acerca da maturidade, senti até vontade de escrever sobre também.

E, claro, FELIZ PARABÉÉÉNS :DDD
Seja com festa, balada, bolo de chocolate caseiro, passeio, morgação ou com o que quer que seja, que você curta bastante e cercada de boas coisas. Tudo de melhor, de verdade. :)

(Que bom que gostou do layout! Não duvido não, rs
E quanto ao texto, não se sinta obrigada a comentá-lo, mas se for o caso, disponha do tempo que quiser.)

Abraços!

Alexandre Silva disse...

Meu Deus... 19 anos e já tá falando em velhice... que menina dramática oO
Eu com meus quase 23 já tô fazendo hora extra na Terra :/

Marcos Pinheiro disse...

Lembro que você comentou comigo que estaria fazendo aniversário hoje. Pior que ia acabar de deixar de te dar "meus parabéns"... Se não tivesse lido os comentários, pelo post de hoje não iria deduzir que hoje faz seus 19 aninhos. [risos]

Sabe que você também me fez deixar bem pensativo quanto a velhice, quanto a como estarei daqui há alguns anos, muitos anos?

Pois é, espero estar com minha mente saudável, isso é o mais importante. O resto a gente vai no médico, toma remedinho dali, daqui...

Quero eu ficar igual aqueles vovozinhos de filme, saca?... Que fica contando histórias sabias de vida aos mais novo. "Além dos chás da tarde, das caminhadas matinais, das visitas ao geriatra..."

.:.

Parabéns pelo texto reflexivo de hoje, que me levou a casa dos meus avós neste instante. Claro, parabéns pra ocê também, muié bunita.

Marcos Pinheiro disse...

Cadê meu blog na lista de parceiros?

O_o

PCN disse...

Que belo post de aniversário!
Ahahaha!
Parabéns moça, tudo de bom pra você!

E envelhecer, assim como tudo na vida, tem seus prós e contras... Envelhece bem quem aproveita o lado bom da velhice!

=]

http://papeisriscados.blogspot.com/

Marcos Pinheiro disse...

Poxa... Não sou mais parceiro do blog?

: [

Bruno disse...

"supreso". "Uau!"

Até a preocupação com a ironia é congruente. Achei demais seu post. Tudo haver com o meu. Pode ter sido mesmo coincidencia, não havia lido ele antes. Eu já falei a fundo da velhice, ali só foi um informe. Gostei demais... Huhau. E parabens pra nois. "que envelheçamos juntos, saudáveis e fortes".

Que eu havia feito sobre: http://bsproducao.blogspot.com/2009/05/velhice-sempre-nos-alcanca.html