quarta-feira, 22 de julho de 2009

And isn't it ironic ... don't you think?

Já dizia Alanis Morissette, com a música Ironic.


"Well life has a funny way of sneaking up on you when you
think everything's
okay and everything's going right"

ou

"Bem, a vida tem uma engraçada maneira de te atrapalhar
quando você pensa que está tudo bem e tudo está dando certo
"



Hoje mais cedo, enquanto estudava história, mais exatamente a Crise de 1929, eu me deparei com esta imagem e imediatamente pensei:

Well, isn´t it ironic? Don´t you think?



Nada melhor que o modo de vida americano, diz o cartaz. Na frente, fila de desempregados, a maioria negros, esperando doações. EUA, década de 30.



Após a 1ª Guerra Mundial, o EUA apareceu como a nação mais rica do mundo, devido a inúmeras exportações para os países Europeus, paralisados pelo conflito. Com o desenvolvimento industrial, a população norte-americana passou a ter um estilo de vida consumista, onde a aquisição de bens era sinônimo de felicidade, o chamado American Way of Life. Entretanto, toda essa euforia teve fim com o crash da Bolsa de Nova York, causada pela crise de superprodução, em 1929. Durante o período da Grande Depressão, 80 mil empresas faliram nos EUA, deixando cerca de 15 milhões de trabalhadores desempregados.


Será que eles continuaram sorrindo como a família do cartaz acima?
Porque não fizeram um com o "Unemployed Way of Life. How to live without money"?


E a Alanis continua:

"And life has a funny way of helping you out when you think everything's
gone wrong
and everthing blows up in your face"

ou

"E a vida tem uma engraçada maneira de te ajudar quando você
pensa que tudo deu errado
e tudo explode na sua cara"



E a "vida" ajudou os norte-americanos...

A Depressão dos anos 30 interrompeu o ciclo de prosperidade dos EUA, mas após o término da 2ª Guerra houve uma nova onda de crescimento que manteria a hegemonia norte-americana sobre o mundo até os dias atuais (mesmo em meio à crises).




Eu odeio os Estados Unidos em geral. Não me agradaria ir para lá, só de graça mesmo. Mas meus filmes preferidos vieram de lá, as minhas músicas e bandas prediletas também são da terra do Tio Sam, eu visto jeans diariamente, uso tênis Nike, bebo Coca-Cola e ainda vou no Mc Donald´s.

And isn't it ironic ... don't you think?

12 comentários:

Jack , disse...

HAHAHA³ dee graçaa atéah ingeesssão na testaaa :P'

Natália Coelho disse...

éah mexxmuh ¬¬

Paloma Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paloma Sousa disse...

História? Grandes Guerras? Falou a minha língua.
Não tenho nada contra e muito menos a favor dos ianques, e minha banda preferida é de lá. Contudo, não me agrada a adoção do inglês americano como segunda língua/língua universal, mas acabei aprendendo para melhorar as notas da dita-cuja no colégio e prossegui com o curso por um bom tempo, era a melhor aluna e tudo. o_O
Mas se tem uma coisa com o que não concordo é esse endeusamento dos turistas estrangeiros, principalmente americanos, enquanto lá fora sempre tem um imbecil que pensa que no Brasil todo mundo é índiio e macaco carnavalesco e, as mulheres, prostitutas que querem receber em dólar. Enfim, não faço a mínima questão de ir para lá. Gostaria é de conhecer o sul! hehe

Abraços!

E obrigada pelos elogios ao Sopão.

*comentário anterior excluído pra consertar erros e ser resumido hehe

Thaís & Tchii disse...

Eu sou que nem vc! Odeio os EUA,mas meus filmes e bandas pradiletas vieram de lá,uso jenas diariamente,uso tennis Nike,bebo Coca-Cola e vou no Mc Donald's

bjs

Marcos Pinheiro disse...

Eu boiar nessa post! Sorry, baby.

KaKa Fuinha disse...

eu odeio a historia americana e algumas partes da cultura

mas algumas coisas num tem como nem pq odiar

Thaai disse...

Essa imagem da felicidade norte americana se denuncia!
mas muitos gostam da vida de aparencias e preferem acreditar apenas no q mostram a maioria dos filmes!
Gostei daqui!
Te seguindo!

Glayce Santos disse...

Deus abençoe a Améria, do SUL! rs
Ficou legal a analogia da breve hist do EUA com a musica da Alanis!

...é, caia mil World Trade Center, mas a face sorridente (artificial) nunca mudará!

beijoca

Jé L. disse...

Rs...
Viva Alanis!

EUA ... como você mesma relatou ... não adianta, absorvemos essa "cultura" de uma forma ou de outra. Só espero que não passemos a absorver também a frieza nas relações.

Beijos, :)

vitoria disse...

Gostei di seu blog vc escreve super bem
beijos

Thaís disse...

N,eu peguei da uol
E vc n entendeu,eu quis dizer q geralmente comemoram 50,100 ou 150 anos...mais é raro comemorarem os 40

bjs