quinta-feira, 30 de julho de 2009

O diamante e o arenito

Alexandre diz:
nós somos 2 rochas
q coisa feia
Natália Coelho diz:
vc tá mais pra granito, enquanto eu sou apenas um arenitozinho
Alexandre diz:
granito...
sou diamante fia


Certa noite, o arenito caminhando nos pastos verdejantes onde ora abundavam a serenidade das estrelas, se deparou com um vistoso e chamativo diamante, encrustado em sua própria beleza única. Este fitava os raios do luar como um ser que não admitia qualquer concorrência com sua bela forma física. Então o arenito se aproximou e disse:

- Ó Diamante, gostaria de enfatizar que Narciso se matou por que só via e admirava a si mesmo.
- E daí? Narciso era apenas um humano fraco, eu sou o que há de mais resistente e inquebrável.
- Ó Diamante, você tem que pensar mais nos outros, esquecer um pouco de você. Sabia que pessoas estão morrendo por sua causa na África?
- Sério? - Diamante pela primeira vez olhou para Arenito.
- Sim, seríssimo.
- O que eu devo fazer, ó Arenito?
- Deixe de ser egoísta e passe a se multiplicar, para que assim a sua escassez finde, o seu valor diminua e as pessoas parem de se matar na disputa por um pedaço seu.
E então, Diamante pensou, pensou e disse:
- Tudo bem, afinal milhares de coisas magníficas é sempre melhor do que uma só. Me multiplicarei para o meu próprio bem, não pense que é para a salvação desse povo da tal da África.
- Já é algum avanço, senhor egocêntrico. - Arenito disse, já impaciente com tamanho narcisismo.
- Não vou parar por aqui, pequeno Arenito. Se pensas que aproveitarei pouco da situação, estás muito enganado. Vou fazê-los me admirarem muito mais.
- O que falta ainda?
- Que venha a luz, e me irradie para o bem de toda a humanidade! - gritou Diamante - E no dia seguinte, ao nascer do sol, Diamante irradiou sua luz para todos aqueles que pereciam na Terra. A humanidade se estarreceu perante o fenônemo espectral que surgia do seu encontro com os raios solares. Todos se apaixonaram por tal maravilha, acirrando ainda mais a luta por um pedaço das cópias do Diamante. Acreditavam que os feixes de luz, separados pelo diamante, tinham o dom da cura e da sabedoria. - Diamante contou o seu sonho de dominar o desejo mundial.
-E assim, o mundo inteiro se matou por conta de ti, Diamante. E você teve toda essa imensidão para iluminar, mas nenhuma viv'alma para admirar a beleza e o encanto de sua forma. - respondeu Arenito.
Diamante Narciso não mais respondeu. E Arenito prosseguiu seu caminho sentindo que haveria menos um suicídio por afogamento no mundo, ele tinha salvado uma "vida".



Alexandre diz:
vc percebeu q acabamos de criar uma fábula-metáfora da porra???
Alexandre diz:
acabamos de criar um post pro seu blog
Natália Coelho diz:
kkkkk
Alexandre diz:
O diamante e o arenito






Criação via msn, de autoria minha e do nada viajante, Cara das Paredes, mais conhecido como Alexandre.


5 comentários:

Marcos Pinheiro disse...

Caramba, estou estarrecido! Que imensidão de pensamentos e criatividade essas cabecinhas de vocês dois, hein?

Alexandre Silva disse...

Já falei pra Natália parar de ficar tomando esses remédios tarja preta sem prescrição médica...

...dá nisso aí ó

:/

iti disse...

vai de pedra...
http://www.maquinazero.com.br/blog/

Glayce Santos disse...

hahahahah! que show. poxa, é só no msn de vcs que as coisas brotam? o meu anda tão besta! vida besta! Isso dá namoro...rs

beijoca

KaKa Fuinha disse...

fabula metafora da porra

xD

mto boa

e pelo visto tambem foi espontanea

xD